segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Box - Projection Mapping [fantástico!!!]

Estão a ver quanto têem papel, luz, e a brincadeira dos dois parece que imagens a duas dimensões são imagens a 3D?

Agora elevar a outra dimensão, como se tivessem objectos a passear no papel, a partir de imagens digitais, dois braços robóticos a segurar os painéis com uma precisão incrível ...

Vejam!! [e isto foi descaradamente roubado daqui:   http://abertoatedemadrugada.com/2013/09/box-magia-do-projection-mapping-em.html#more  ]

"

Box - A magia do Projection Mapping em movimento 


Não nos faltam exemplos excelentes de utilização do projection mapping como forma de dar vida a objectos inanimados. Usando-se projectores e nada mais que luz, consegue-se criar a ilusão de que fachadas de edifícios, automóveis, ou até simples objectos se transformem em algo mágico que parece ter saído de um sonho mas que estamos a ver com os nossos próprios olhos. Mas depois, temos coisas como este Box, que leva as coisas a um nível completamente diferente.

Em vez de termos projecções sobre objectos estáticos, neste caso temos projection mapping a ser feito sobre elementos em movimento, sendo que também a câmara de filmar se move ao longo desta espectacular apresentação. Parte do segredo é que tanto as telas onde as imagens digitais são projectadas como a câmara estão a ser controladas por braços robots de elevada precisão, que permitem manter o sincronismo perfeito necessário para criar as várias ilusões tridimensionais que nos são apresentadas. (Os responsáveis dizem que em breve disponibilizarão um vídeo "making-of" que certamente será tão interessante de ver como o resultado final).

Fiquem com o vídeo deste incrível "Box", e relembro que tudo o que vão ver no vídeo está a ser gravado pela câmara tal como é, não havendo efeitos especiais aplicados posteriormente. É a verdadeira magia da imagem. :)"


No link está o texto e o video! VEJAM O VIDEO!!!

Fim de semana cheio

Namorar.
Fazer bolos para a festa do tio do J. 
Foram tartes de amêndoa, tartes de maçã, pão-de-ló de alfeizeirão ...
Namorar.
A jantarinho de baby shower da M. 
Ver a barriga linda da I. 
A ir à terrinha dar uma beijoca na avó que fez anos ontem. 89.
Desde a chegar de novo a casa e pensar vou descansar. 
Ver 4 episódios de uma série.
[preciso de por as séries em dia!!! ahahah ando sempre nisto, eu!]
Desde por creme nas minhas botas!! [ah! é verdade!! reclamação a fazer!]
Desde a ir buscar o calçado de inverno. 
[agora falta é trocar com o de verão!]
Desde ...

Nem sei. Tanta coisa!! 

Happy **

baby, beauty, black and white, calm, child, cuteness

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Hastags

Agora é a "moda" (mania ... ) a meu ver chega a roçar o ridículo. E o video vai de encontro ao que penso.

Hilariante!! ahahahah










quarta-feira, 25 de setembro de 2013

terça-feira, 24 de setembro de 2013

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Nós... Portugueses de forma geral ... para ler de forma descontraída [inglês]

Andei pela net, vi isto e copiei.

Achei interessante, em grande parte verdadeiro, e uma perspectiva diferente!

http://popanth.com/article/ten-things-ive-learned-about-the-portuguese/


"Ten things I’ve learned about the Portuguese

by ERIN B TAYLOR on MARCH 11, 2013 in CONTEMPORARY CULTURE


Since I moved to Portugal just over a year ago, countless Portuguese people have insisted to me that they are not at all like the Spanish: neither in food, language, nor behaviour. Is this true? If so, what makes them distinctive? As I was to discover, quite a lot, actually – even their animals have a different culture. Here’s a list of some of the weird and wonderful peculiarities that I have discovered.
1. Portugal has the laziest pigeons I have ever seen. I call them ‘rats of the ground;’ they cannot be ‘rats of the sky,’ because they are never in it. I am sure that the Portuguese pigeons have their own ornithological culture.

2. Portuguese people mostly live in small apartments, but own huge dogs. This contrasts with Australia where small dogs have become very popular, even if people have spacious yards. Does this mean that the Portuguese walk their dogs more? Quite possibly – they are far less finicky about where dogs can be taken and are often seen in restaurants or trains.

3. One must never, ever, enter the supermarket through a check-out lane. In Australia, so long as you are not getting in people’s way, nobody cares. Here, even if you are entering through the far wider self-checkout aisles and there is nobody using them, a staff member will chase you and try to make you exit the store and enter the proper way.

4. Eating or drinking while walking is uncivilized. You can buy a Coke from a vending machine and drink it standing there, but once you are mobile, you must put it away. However, cafes have adapted their service to suit this culture. When in a hurry, let the person serving know that you would like to eat at the bar. They will know that you are in a hurry and serve you your coffee and pastel de nata quickly (Portuguese tart). Another time-saving device that appears in many middle class homes is the Bimby. This machine is a marvel – simply throw in the ingredients, press a button, and voilá! It makes your bacalhau com natas (stewed cod with cream) for you.

5. The average Portuguese person speaks far more English than they will let on. Don’t be surprised if, after weeks of struggles to order your coffee, the vendor breaks into perfect English, all the while apologising for not speaking your language. It appears that, far from trying to be difficult, they are actually very modest and shy.

6. Portuguese is not Spanish. I was constantly informed of this, despite the fact that when I first arrived, I would have very successful conversations by speaking Spanish to people and listening to their answer given in Portuguese. Apparently Spanish speakers from Spain don’t have this ability – the Portuguese understand them, but they don’t understand the Portuguese.

7. How you dress matters, and dressing correctly doesn’t always mean dressing better. Displaying ostentation tends not to be appreciated. When living in inner-city Lisbon, I found that strangers were generally friendly to me, except on the odd occasion that I wore business-like clothes (even though they are not expensive). But dressing down is also a bad idea; it displays a lack of respect for social rules. As a result, there is a very specific wardrobe among the Portuguese, with the men mostly wearing trousers and collared shirts, while the women wear wedge heels, skirts and casual-but-nice tops.

8. At the national level, the Portuguese are amazingly consistent with their material culture. Just about everywhere you go in the country, the footpaths will be cobbled with the same white stones, which take a great deal of work and cost to lay. All streets seem to be named with pretty tiled signs, and waterfront paths lined with more modern grey pavers. Having spent time living in Australia, England, the USA, the Dominican Republic and Haiti, to my eyes their efforts seem incredibly dedicated.

9. The Portuguese tend to underestimate their own country. They will tell you that it is always in crisis, that it is badly managed, their bureaucracy is a nightmare, everything is so expensive, and so on. But actually, despite the current crisis, it compares very well to most other countries I’ve spent time in, so much so that I’d quite happily see out the course of my  natural life here. You can buy fantastic bottles of wine for a few euros, the transport system is well-designed and aesthetically pleasing, it is constantly sunny over summer, and people are very polite and helpful. The result of all this is that many Portuguese want to escape to another country, while everyone else seems to want in!

10. Finally, inexplicably, the Portuguese love Australia. In fact, it borders on a national obsession. It’s so popular that bumper stickers on cars bear Australiana, and the local telecommunications company, Optimus, names their internet plan ‘Kanguru’ after our hopping, pouch-bearing, joey-carrying marsupial. Perhaps they love it because it is so far away from Spain?

So, if you plan to visit Portugal, practice your South American Spanish, bring kangaroos and a healthy appetite for Portuguese tarts, and leave your ostentation and small dogs at home. You will find yourself at home in no time. "



quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Hoje é um grande dia.

Um grande dia.
Que pode trazer ainda mais alterações, decisões, mudanças em mim e no futuro.

Mas primeiro há que vivê-lo!!


Tenho logo à tarde uma entrevista.
Já ontem a referi, é algo que não estava já à espera.
Vamos ver como corre.
[fingers crossed!!!]

E depois tenciono ir comprar coisas para as unhas.

Não sei se já o disse aqui, ou se já disse mas como é óbvio ninguém se lembra [ =P ] mas faço gelinho. Ou melhor, eu pinto as unhas com verniz gel. até aqui, tudo normal, muita gente o faz hoje em dia. A cena é que sou eu que faço. Ainda não consigo fazer a mim, para isso tenho ali a minha mummy, mas eu faço depois a ela e à minha madrinha e a quem mais vier!! Se calhar devia abrir um negóciozinho!! Mas há duas questões. Só pinto as unhas todas de uma só cor. Não tirei nenhum curso, ajeito-me bem com a coisa, mas não sei fazer desenhos, nem misturas de cor, nem afins. E só uso um tipo de verniz gel. Experimentei [enquanto ia fazer às manicuras (?)] algumas marcas e percebi as que eram melhores que outras; depois quando andei a pesquisar para ver o que conseguia ou não comprar, porque não sendo esteticista, não é fácil adquirir bons produtos, ainda escolhi duas marcas, mas já percebi que uma delas não presta. Tem imensas cores à escolha, mas depois não duram nada e estraga-se que é uma coisa parva (as unhas, entenda-se!).

Vai daí, a marca escolhida é a Orly GelFX.
Agora têm mais cores, e quero ver se compro uma ou outra a mais. Mas já tenho umas quantas ... [mas preciso mesmo de lá, que já não compro nada há quase ano e meio, e agora estou a ficar em baixo de stock!! ahahahh]

Como podem ver por este post magnifico [como vêem já tinha falado sobre isto] já tenho algumas cores. 
[Isto fica uma grande confusão ... na realidade as cores nem dão para ver bem na foto ... nem dão para ver como são pelo leque de cores da imagem em baixo, porque nunca são bem assim.]
Mas já temo (além destas, outras duas cores de outra marca mas que se podem misturar com os produtos desta)





Tenho umas cores em vista ... mas logo vejo o que compro!!!


quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Dos últimos tempos ... tudo explicado.

As coisas andavam a correr bem.
Tinha trabalho, estava a aprender todos os dias, delegavam em mim tarefas das quais ficava encarregue, comunicava eu com as outras equipas. Era algo pequeno e grande ao mesmo tempo. Sentia-me bem. 
Aprendi, levei nas orelhas, ensinaram-me, agradeceram-me, elogiaram-me. 
Tudo.
Até que veio a avaliação final e caiu tudo por terra.  [desabafo 1]
Andava a bater mal. 
Ninguém acreditava em mim. E eu tinha de fazer por me acreditar. Por acreditar eu também. Por me convencer.
Não queria demonstrar, por fora estava sempre bem, por dentro sentia-me num verdadeiro caos. tormento. angústia. [desabafo 2].
E veio depois a real resposta. E eu ouvi. [desabafo 3]
E fui descansar para Sesimbra. [desabafo 4] onde me procurei. E onde comecei, me forcei, me orientei para ver as coisas no outro prisma.
Até que voltei. 
E soube do que se passava. E apesar de já ter entendido tudo, ainda custava. E continuou a custar todos os dias em que lá continuei. Até ao fim. Porque eu faço o meu trabalho, mesmo quando sei que não fico. Mas a vontade de o fazer é outra. A sensação de trabalhar para o vazio é muito grande. O estar a trabalhar para outros que não para mim. O não trazer a realização pessoal. O não tudo. [desabafo 5]
E o que no fundo se passou?
Muitas teorias.
Na realidade nunca fui pessoa de graxa. Não fui, não sou e sinceramente tenho nojo de quem o faz. Sou simples. Faço o meu trabalho. Gosto muito de aprender. Mas não dou graxa. Não consigo. Mas pelos vistos há pessoas que gostam mesmo mesmo mesmo disso. E que por alguma razão não encararam comigo. E que pelos vistos não se importam de brincar assim com a vida das pessoas. E basicamente mandaram-me embora, a mim, em vez de outra pessoa que não trabalha bem em equipa, por razões "estranhas". E é lixada toda a sensação de chão a cair, de desalento, de afinal estava tão parva, de então afinal não estava a fazer um bom trabalho, enfim, de uma data de "des".
Se já andava à pesquisa do emprego que havia na minha área de formação; comecei realmente a procurar a sério. Ir a entrevistas continua a ser algo que me deixa muito nervosa.  
Fui de férias, uma semana em Sesimbra e uma semana no Porto. [desabafo 6]
Uma semana com a família e uma semana com o namorado.
Nos "meios" fui a entrevistas. [desabafo 7]
E o meu chefe de equipa, sabendo de toda a situação e não concordando com ela, permitiu-me ir a entrevistas durante o horário de trabalho, sem ter que tirar dias/horas das férias que me faltavam.
E chegou Setembro e com ele a decisão. 
E para isto há que explicar o seguinte:
Eu estudei uma coisa: Eng. Electrotécnica, área de Energia.
Eu este último ano, trabalhei como Consultora de BRM (Billing and Revenue Management). 
Que não tem nada a ver.
Mas aprendi. Muito. E gostei bastante, mas mesmo bastante do que fazia.
Bom, no meio disto tudo, consegui arranjar emprego numa outra empresa que pediu para eu sair uma semana mais cedo do que iria sair. E assim foi. Todos os preparativos foram na primeira semana de Setembro, e última para mim, na empresa onde trabalhei. [desabado 8]
E comecei na segunda feira, dia 9. 
E logo aí a vida deu uma volta, de novo. [desabafo 9]
Aguentei o primeiro dia, sem saber o que fazer. 
Fui para casa, pensei, falei com os meus pais, decidi. 
Falei no dia seguinte. Com as pessoas responsáveis por mim. 
E o que aconteceu?
Logo no primeiro dia em que comecei na nova empresa recebi um telefonema, de uma outra empresa, essa já na minha área, a dizer que tinha sido seleccionada.
Fiquei às voltas. 
Porque apesar de gostar mesmo muito do que fazia, andei a tirar um curso de algo que gosto e sempre quis trabalhar, experimentar, explorar esse mundo. 
E penso que agora é a melhor altura para o fazer. Este último ano deu-me mais conhecimentos, aos quais posso voltar mais tarde, se já não quiser continuar na minha área. Mas agora, quero investir em mim. E portanto decidi aceitar a proposta do novo emprego e rescindir com a "nova". [desabafo 10]
Mas disse-lhes que ficava até ao final de Setembro para os ajudar com um projecto, porque eles não tinham muitas pessoas e precisavam.
Não quiseram.
E então eu sai, de consciência tranquila.
E voltei a ficar de férias. [desabafo 11]
Mais ou menos, porque vou rever alguma matéria que preciso, que sinto que preciso, e já lá vai algum tempinho!! 
E enquanto estou aqui à espera voltei a ser chamada para uma outra entrevista. A um recrutamento a que já tinha ido, mas que não tinha tido continuidade; mas por alguma razão voltaram a abrir a vaga e chamaram-me para uma última entrevista. 
Vamos a ver como as coisas agora correm.

Foi longo. 
Mas ficou assim tudo meio explicado.

A ver se começo a ter mais vontade de escrever, de vir cá, de tudo.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

para a semana, prometo

Voltei a ficar de férias.
Sabem bem.

Para a semana explico.
Agora vou só ali ao norte passar o fim de semana.


[já estou a antever os posts de sexta feira 13 ahahahah ]

Divirtam-se!! =)

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Tantas mas tantas voltas na minha cabeça.

Não gosto disto.

E no estômago.

[mas esta última provavelmente é metade fome! xD]

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Vida nova. Mas mais reviravoltas.

Quando tudo assentar prometo que venho para aqui e despejo tudo!!!

Mas está tudo bem! =)

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Bom ... aos poucos a coisa vai-se tornando diferente. as coisas vão mudando.

Preciso de tempo em mim para por tudo por escrito, a ver se consigo nos próximos tempos.

Hoje é dia de ir ao cinema. Gaiola Dourada. Hoje foi dia de preparar tudo para segunda feira ser um dia diferente.

Hoje foi o dia do preparar o recomeço.